December 31, 2011

Essa deve ser uma boa

... pra hoje.


Sou a pessoa mais despreparada pra fazer qualquer retrospectiva. Não sei quais foram os melhores lançamentos de 2011, e provavelmente não os ouvi, não anotei os momentos mais marcantes do ano e a única coisa que me lembro é que a minha memória está em franca decadência, já que ela me falha diariamente. Só lembro que trabalhei bastante, tenho vivido (finalmente!) um amor bonito, demoro mais tempo pra chegar em casa e ela tem cheiro de sítio, o que dificulta muito a minha adaptação mesmo após 10 meses. Descobri que o Kir Royale é um ótimo substituto para a importada cidra Jacques, o cachorro Mason está deprimido, ainda consigo dirigir (com câmbio automático) e meu gato contraiu misteriosamente um fungo esquisito e rola um medo de a gente pegar também. A Cacau Show está vendendo Stroopwafles (waffles holandeses deliciosos), decidi guardar dinheiro custe o que custar e nunca mais comprei ingresso para um grande show desde o Macca no Engenhão (mas não resisti a comprar uma saia de borboletas outro dia). Passei à seguir e baixar séries de TV e constantemente invejo o guarda-roupa da Zooey Deschanel, mesmo sabendo que minha necessidade de usar tênis o tempo todo impede a utilização daqueles vestidos e saias fófis. Descobri pelo Facebook que um monte de gente casou e teve filho, mas ainda não me sinto velha, são os outros que estão adiantados. Viajei menos que eu gostaria e desencanei de coisas até demais. Não achei 2011 um ano ruim, mas foi o ano do random: uma sucessão rápida de coisas nada a ver umas com as outras. Não faço a mínima ideia de como vai ser 2012, tenho pavor de considerar tragédias naturais e clima de "fim do mundo". Enquanto tiver novidades, mesmo que pequenas como estas que eu listei, tá bom. 
Saúde & sorrisos pra todo mundo.

December 27, 2011

E a Oi dá tchau

O papo é que a Oi FM, como a conhecemos, vai acabar. No primeiro momento, quando vi pela primeira vez uma notícia sobre o assunto, pensei no pior.  A rádio, que opera em sete cidades e leva o nome da operadora de telefonia não vai exatamente acabar, mas vai perder o nome e a parceria com a operadora de telefonia. No Rio, onde funciona em uma das sedes da Oi em Ipanema, deve mudar de lugar. Até dia 31, ela continua Oi, mas depois fica sem nome fantasia, como "a rádio oficial do verão", já que os projetos pra estação continua de pé e a rádio funciona ainda em rede por algum tempo. E depois? Ainda não se sabe.
O que mais de me dá medo é que haja uma reformulação total no estilo da rádio, ou a venda da frequência (ao menos aqui no Rio). Sinceramente não sei como é a situação nesses outros estados, mas aqui no Rio não é nem um pouco favorável. Desde que comecei a ouvir rádio: 
Perdemos a RPC, Antena 1, Jovem Pan e Rádio Cidade. 
As rádios evangélicas se multiplicaram e dominaram o dial. 
A Transamérica costumava ser bem mais variada do que hoje, e sempre sofreu com propaganda e falação demais e música de menos. 
A JB FM, toca hoje as mesmas músicas de 15 anos atrás, e toca as mesmas todos os dias. Um dia faço um estudo experimental para provar isso, mas quem escuta aqui e ali em consultórios e elevadores da vida sente o mesmo. 
A (Sulamérica) Paradiso era maravilhosa quando começou (tinha um programa ótimo de música Lounge apresentado pelo... Luciano Huck), mas também caiu na repetição e toda vez que eu sintonizo nela toca alguma balada das Pussycat Dolls (TODA VEZ). 
A MPB FM é um refúgio pra quem curte e espero que dure bastante. 
A Mix FM veio ficar no mesmo lugar da Jovem Pan, com estilo musical semelhante, mas como uma versão esmaecida e sem graça da rádio anterior. 
A RPC virou FM O Dia (pagode). 
A Antena 1, que era melhor na música de elevador do que a JB e tinha um programa de Flashback im-per-dí-vel aos sábados de manhã virou Nativa FM (pagode). 
A 98 FM (pagode) virou Beat 98 (pagode). 
E a rádio Cidade, que já foi Pop Rock e focou no Rock à época do terceiro Rock In Rio, virou a Oi FM que era muito mais eclética e virou a única que tocava coisas novas do rock, pop menos comercial, nova música brasileira, um pouco de reggae, rap, coisas diferentes sem ser indie demais. Herdou o RoNca RoNca da rádio Cidade, promovia shows legais, Oi Novo Som e por aí vai. 
E o medo é de tudo isso acabar sem nome, sem verba, sem apoio. E mesmo com a promessa de a rádio continuar como está, ainda vamos ter que acompanhar esperando pelo melhor. Quando a notícia começou a pipocar, há duas semanas, Maurício Valladares mandou uma palavra de alento e pediu pra "descansarmos os corações". Hoje, ele escreveu no blog do RoNca que o programa continua onde está. E é isso. Por mais que a gente tenha se adaptado completamente a ouvir música no formato digital, em nossos mp3 players e computadores, ainda há uma magia de ouvir música no rádio, um sentimento de que não estamos curtindo aquilo sozinhos, e a surpresa de nunca conseguir descobrir qual música vem depois, e a sua favorita parece muito mais favorita quando toca na caixinha mágica - o que essa tirinha explica muito bem:

December 11, 2011

Kings of The Plateia

Para quem estava curioso sobre o show do Kings of Convenience: O show foi que nem aquilo que você leu sobre o de São Paulo. SÓ QUE AO CONTRÁRIO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
E pensar que eu fiquei com medo do show ser uma bomba, depois de ter lido a matéria da Folha... Mas foi incrivelmente diferente. Vezes q eles mandaram a gente calar a boca: ZERO. Vezes q eles pediram pra gente bater palma e cantar junto: perdi a conta.
Realmente deve ter sido graças à boa e velha kayperenea no camarim... Erlend tava malucaço-beleza, dançando, fazendo caretas e mímicas dignas de um clown. Se todo mundo reclamou que em SP faltou pegada e carisma pra conquistar o público, no Circo Voador eles aprenderam direitinho. Foi um dos shows mais bem-humorados, fofos e singelos que já vi. Os caras não têm medo de barulho, de palmas, plateia cantando junto... teve tudo isso. Realmente deve ter sido uma questão de papo paralelo abusivo em SP, como me escreveu no Twitter um cara que esteve no show do Cine Joia.
Ontem rolou de a galera meio q patrulhar os conversadores com "shhhhhhs", mas nada demasiado que criasse um climão. E a banda não se manifestou em nenhum momento sobre o barulho. Estavam com sorrisão no rosto. Erlend dançando louco e pedindo arranjos e palmas do público. Ele está com os cabelos mais longos, e aqueles óculos de vovó dão um look de cientista louco ao cara. Eirik, ainda mais bonito ao vivo, com voz linda, português fofíssimo cantando "Corcovado". O entrosamento entre eles é gostoso de se ver, só os dois com seus violões, criando melodias e climas maravilhosos. Coisa que Eirik disse ter aprendido com Bossa Nova e João Gilberto, essa coisa impressionante de poder arranjar completamente as melodias só com um violão (isso e o tal apreço pelo silêncio entre as canções, sorte que ontem o espírito de João Gilberto estava mais longe).
(Sem dúvida o melhor momento da noite, ainda mais quando o Erlend chega)
E talvez eles tenham lido as matérias e decidiram fazer tudo diferente no show do Rio. Pode ser... ou foi como outra amiga falou: a plateia do Rio faz toda uma diferença (não querendo ser bairrista mas já sendo uhuhuhu). Seja como for, banda e plateia carioca saíram satisfeitas =)

November 29, 2011

PROMO Bootie Rio de Natal com o glorioso João Brasil!

Vem aí a Bootie Rio de dezembro cheia de felicidade e ho ho ho pra dar de presente no sapatinho da sua lareira! Dia 02 tem mais uma Bootie no Espaço Acústica, trazendo novamente uma das estrelas mais reluzentes do mundo dos mashups: João Brasil. É, o moço vem lá da fria Londres se esquentar no calor humano do Natal carioca. Apesar de estar com a agente lotada, a Bootie Rio é o único gig dele, antes de, diga-se de passagem, participar na festa de Réveillon de Copacabana, assinando a trilha da queima de fogos mais uma vez e abrindo pro David Guetta. POCA COISA.

João Brasil em ação na Bootie Rio.
E a Bootie aproveita o clima de celebração natalina para lançar seu Best Of Bootie Rio 2011. O melhor esquenta pré-festa!! Vai no play :)

E aí, nesse espírito de bondade e união que nos acomete nessa época, vamos dar aqui DOIS PARES DE VIPS para essa edição. É só participar!

O João Brasil, como muita gente já sabe, é o autor dos hits loucos da night carioca "Baranga", "Cobrinha Fanfarrona", além de ter tocado o projeto 365mashups, em que passou cada dia de 2010 fazendo um novo mashup. Inspirado nisso, siga esses passos abaixo para concorrer aos vips:

1) Comente neste post.
2) Informe seu nome completo e e-mail válido.
3) Responda a pergunta: "Qual mashup ou funk mutcho loco você inventaria pro João Brasil fazer"? Vai que ele curte a ideia e faz? hehehe
4) As duas melhores frases ganharão UM par de vips (entrada grátis, você + 1 miguxo).
5) Resultado sai sexta, dia 02/12, por volta de meio-dia, por e-mail.

Pra quem vai comprar, ingressos antecipados custam R$ 25 no site Ticketronic, lojas da Chilli Beans de Ipanema, Rio Sul e Copacabana e loja Zero Zen no BarraShopping. A festa custa R$ 50 na hora, na bilheteria do Espaço Acústica. Lista amiga: bootierio@gmail.com, mandar nome até às 18h do dia 02 de dezembro, aí o ingresso sai a R$ 30 até 1am, e R$ 35 depois.
Olha o silviço aê, zenty: dia 02 de dezembro, 23h, Espaço Acústica. Praça Tiradentes 2, esquina com a Rua da Carioca, Centro - Tel.: 2232-1299. Com João Brasil, VJs e DJs residentes da festa, Folkatrua VJs, André Pipipi, Billy the Kid, Fernando Schlaepfer, Beto Artista e Luiz G-Vô.

Boa sorte! =)

November 25, 2011

Lolla pra lusa

Lollapalooza com vendas liberadas pra pré-cadastrados, só que aparentemente ninguém sabia que seria só pra quem fez o cadastro inocente (?) pra receber informações, ou seja, uma grande pegadinha do Mallandro e os meio-desligados ficaram de fora. O cadastro fechou dia 19, eu não sabia, tentei fazer dia 20, ainda sem saber que a venda seria só pra cadastrados (eu queria receber as informações), mas foi fechado. No dia seguinte veio a confirmação das bandas presentes e o preço do passe pros 2 dias (500 inteira, culpem a farra das meias entradas) + 50 de taxa de (in)conveniência (que ninguém consegue explicar), à meia-noite foi um frisson e muita gente, mesmo com a senha dos cadastrados, conseguiu comprar. Os organizadores ~não previram o grande volume de acessos~. Também ~não previram que muita gente ia tentar comprar com a senha do amiguinho~ (a compra era reservada a 2 passes por senha, mas sabe-se lá se isso foi respeitado). E ainda rolou aquele show de picuinha e trapalhadas Perry Farrel x Lobão x Folha! Enfim, ainda não liberaram a venda geral nem os preços para os dias individualmente, nem oficialmente que dia cada uma banda toca. De qualquer modo, por aqui acabou o dinheiro e mesmo com a presença de bandas que eu adoro como Foo Fighters, MGMT e TV On The Radio, esse é o meu verdadeiro sentimento em relação ao evento:


P.S.: relembrem o Lollapaloozers Xerém.



November 24, 2011

Influência direta e reta 2

Depois desse que já postei, mais uma influência deslavada do mesmo álbum, Histoire de Melody Nelson, do Serge Gainsbourg. Dessa vez, Beck entra na roda com uma canção do seu álbum Sea Change, que veio com muita influência do Gainsbourg, principalmente mas não só na música abaixo.
Beck - Paper Tiger

Serge Gainsbourg - Cargo Culte

November 20, 2011

Desenhei

Estava reformando o layout do blog de uma amiga e pensei numa ilustração bem simples pra ele. Como não sei desenhar muito bem, pensei em pedir ajuda de um amigo que saca mto, mas leio tanto o blog do DiVasca que fiquei sem graça em pedir esse favor, mesmo sendo realmente algo bem simples... Então resolvi arriscar e fiz sozinha, e até que não achei ruim, serviu bem ao propósito e ao que eu tinha imaginado. 
Claro que ficaria melhor se ele tivesse feito, mas como o orçamento é zero, melhor não tirar o tempo do rapaz.
Fica então a dica: leiam o blog do DiVasca. Verdade ou não, as histórias servem pra gente perceber o quanto uma profissão pode ser desvalorizada por quem não acredita que o tempo de qualquer pessoa, seja ilustrador, design, jornalista, ator, médico ou advogado, vale dinheiro.
E o blog que eu estava arrumando é o http://marthasachser.blogspot.com/, da minha querida amiga que trabalha como fotógrafa em Nova York. Galera que curte fotografia de eventos, casamentos & família: recomendo muito o trabalho dela, mesmo que seja de inspiração. Quem sabe um dia ela não faz uns trabalhos no Brasil? ;-)

November 15, 2011

Criando treta!

Courtney Love vai me esganar agora, mas a levadinha de "Awful" é irmã-gêmea de "Learn To Fly" dos Foo Fighters HIHIHIHIHI.


November 14, 2011

Hole e o buraco-negro das lembranças

O que foi o show do Hole, né, gente? Courtney estava lá, magra, bagaça, vimos seus peitinhos (quem nunca viu?), e sem os componentes originais da banda faz tempo. Um guitarrista-mirim acompanhava no look bagaceira. Umas quatro ou cinco modelos vestidas em inspiração anos 20 dançavam lânguidas, tão bonitas quanto esquisitas. A guitava desafinava, a voz falhava e ainda assim era o Hole.
Foto: Samuel Kobayashi / Multishow
Courtney Love está presa. Presa nos 90's, numa coisa que ela foi, na importância que ela teve. Já nos 50, ela mostra sua autenticidade nos palcos e online tretando com desafetos que ela traz há anos. As feridas não curam, penso que ela não quer, nem consegue viver sem elas. Courtney viveu algo que ninguém pode dizer que não teve importância. Tire isso dela e o que resta?
Mas isso não é mal. É o papel dela. Pense no que a música do Hole significa. Pra mim, Hole tem cheiro de rebeldia adolescente. Não uma rebeldia advinda de sofrimento total, nem uma rebeldia sem causa. Rebeldia de crescer. Teenage angst, saca? Pense em você, se você passou por isso. Um dias as suas roupas rosa e o mimo não falavam a sua língua. Algo mudou, mas não se sabe exatamente o quê. Nem o que fazer com isso. Você veste uma camisa preta, pinta os olhos, fala palavrões pra chocar, e bota no rádio uma música suja e pós-punk. Isso é Hole. Imagina o que é, para as meninas, ver aquela senhorita desgrenhada, pernas abertas, roupa e corpo largado e liberado, batom borrado, cantando músicas sobre o que é a beleza no mundo e sobre ser pedaços de boneca? Hole cheira a cereja, cheiro de menina que será uma mulher em breve, só ainda não sabe como isso vai acontecer. E se misturam ali dentro o sentimento de rebeldia com o querer estar certa e ser amada.
Pense na excêntrica Juno, arranhando "Doll Parts" no violão com o pós-adolescente quem-sabe-futuro-pai-adotivo do bebê que ela espera sem saber (ainda) que está apavorada. Pense em Lucy, personagem de Liv Tyler em Beleza Roubada, dançando loucamenta ao som de "Rock Star", na villa italiana em que procurava experiências opostas ao tédio. 
Pense em por que Hole é a trilha dessas moças?
Courtney diz que não liga, mas ela liga. Por isso as tretas. Ela se importa, e muito, com o que pensam dela. Ela também é essa adolescente rebelde e desbocada, mas que também quer estar certa, ser ícone e ser amada.
E enquanto hoje há muitas bandas que sonorizam muito bem a social dos bem-vestidos, com suas batidas super feelgood, Hole fica no quarto dessas meninas, bebendo angústia de crescer. "É impossível gostar de Hole em 2011", ouvi dizer. Se você nunca curtiu, é team Dave Grohl ou viu Kurt & Courtney e acredita piamente que Love mandou matar o marido, realmende não dá. Mas se você ainda tem resquícios dessa adolescente dentro do peito, ou ao menos nostalgia desses tempos, dá sim.


November 13, 2011

Todo mundo escreve "Split" mas é "Spilt"

Essa é uma das minhas músicas favoritas. Por favor, cuidem bem dela.


Do grande Wincing The Night Away (clique pra escutar).

November 11, 2011

Playlist: Feist

Ela já fez parte do Broken Social Scene (que tocou no Rio essa semana), apesar de eu não conhecê-los. Conheci Feist quando eu conheci Kings Of Convenience. Com essa aqui:


Ao mesmo tempo, ela tava começando a bombar nos Estados Unidos com "1, 2, 3, 4", foi indicada pro Grammy e seu álbum mais recente, The Reminder, tava vendendo em todos os Starbucks da América.
E o clipe passava no meio da Times Square.
Feist acabou de lançar Metals, que é um álbum mais bluesy, som menos pausterizado, e com tons sombrios. Nessa leva, fiz uma playlist com músicas da moça canadense. Incluí Graveyard, música do novo que eu mais curti.


November 7, 2011

Pra animar de alguma maneira

Larica dos moleke 80's.

Q: “What is the song that made you want to become a musician?”
Jenny Lewis: “Pass the Dutchie.”

November 3, 2011

Desculpem o silêncio

been busy...

October 23, 2011

Dois exemplos

Não falo tanto aqui sobre meu desprezo a coisas hype-empurradas-pela-garganta ou it people, it bands como eu gostaria. Costumo jogar pedaços do mau-humor que isso me dá em posts no Facebook ou Twitter. É difícil sintetizar em um post aqui as várias razões pela qual o hype me irrita, e nem acho que muita gente se interessaria por isso. Eu nunca fui fã de moda, tendências e marketing e costumo me afastar de gente com ego grande. Me sinto uma idosa nesses tempos de transição esquisita na comunicação, em que algumas pessoas se acham críticos gabaritados porque possuem um blog, famosos por terem muitos seguidores, inventores e dignos de crédito por piadas banais no Twitter, e artistas de pouca arte. Sem entrar em divagações profundas e monótonas sobre a minha visão ranzinza sobre o assunto, eu só queria registrar esses exemplos amostragem e botar a bola em jogo. Vamos a eles:
Homeless chic e o designer que comprou o casaco de um mendigo - Essa matéria rendeu discussões acaloradas no Facebook, de gente que ficou chocada pelo fato de o cara ter topado dar R$ 10 pra uma pessoa que claramente precisava muito mais, ter pego o casaco que provavelmente era o único que o mendigo tinha achando que tava fazendo um ótimo negócio e depois, convencido pela namorada, ter jogado fora. Jogado fora. No lixo. Meu desprezo pelo cara só aumentou quando eu li seu perfil no (onde? onde?) Partybusters. Aí foi fundo demais na falta do que fazer da vida.
"O tempo livre, Antonio passa desenhando, lendo e vendo filme esquisito. Porém, ultimamente, por razões que ele mesmo não entende muito bem, tem passado o tempo livre dormindo, jogando Playstation e bebendo. Diz ele que daqui a pouco passa, enquanto não passa, cuidado pra não perder esse tanquinho ein querido!"

E o brega virou cult - ‎"Gostamos de toda a bagaceira da música brasileira de periferia" - bom, psicanalisando, isso não parece discurso de quem gosta disso naturalmente. Pra mim, entra na categoria "comprei um casaco de um mendigo porque achei que era hype". É uma banda de filtro: pra classe mérdia alta hispter gostar de brega, tem que tem um filtro hype como dessa banda. Assim como aconteceu com o ~~~~funk~~~~ nada menos que patético de bandas como CSS, Bonde do Rolê. Quer funk? Escute funk e não a banda de filtro.

E o que você acha?

October 20, 2011

Karaokê nostalgia

Foi o que rolou sábado passado.


October 10, 2011

Todos chora

Todas essas reações...
Em comemoração dos 20 anos do álbum Achtung Baby, do U2, organizaram uma compilação de covers de suas músicas, e a galera que participa é do naipe de Patti Smith, Garbage (aimodeuzio, tão voltando!), Nine Inch Nails, Depeche Mode e... Jack White, que você ouve no link acima, a única faixa liberada até agora. Mais infos aqui. Chorem comigo.

October 3, 2011

Bootie Rio de Outubro com dj bootOX + PROMO, vem que tem

Vem aí mais uma Bootie Rio, dia 07/10, dessa vez com a participação internacional do dj bootOX. O austríaco, levou a Bootie pra Alemanha e comanda a Bootie Munich. Além dele, agitam a noite Folkatrua VJs e os residentes André Pipipi, Billy the Kid, Schalepfer, Beto Artista e Luiz G-Vô. E cá estamos para liberar DOIS PARES DE CONVITES VIPS para a Bootie Rio. Participe da promo e leve um miguxo!
Bjork + Robert Smith, do The Cure, no flyer da Bootie Rio
E pra promover a festa, os Folkatrua VJs fizeram um vídeo especial para o mashup do DJ gaúcho MashmyA$$, "I Can't Get No Satisfação" (Rolling Stones vs. Tati Quebra-Barraco) e criaram o maior burburinho nas interwebs! Já são mais de 100 mil visualizações.

Curtiu?? Ficou com vontade de ir?? De graça, com mais um miguxo (a)? Confere as regras da participação:
1) Comente neste post.
2) Informe seu nome completo e e-mail válido.
3) Responda a pergunta: "Por que ir na Bootie Rio vai te dar muita SATISFAÇÃO"?
4) As duas melhores frases ganharão UM par de vips (entrada grátis, você + 1).
5) Resultado sai sexta, dia 07/10, por volta de meio-dia, por e-mail.
Pra quem vai comprar, ingressos antecipados custam R$ 25 no site Ticketronic, lojas da Chilli Beans de Ipanema, Rio Sul e Copacabana e loja Zero Zen no BarraShopping. A festa custa R$ 50 na hora, na bilheteria do Espaço Acústica. Lista amiga: bootierio@gmail.com, mandar nome até às 18h do dia 07 de outubro, aí o ingresso sai a R$ 30 até 1am, e R$ 35 depois.
Mais informações: http://www.bootiemashup.com/rio/
Olha o silviço aê, zenty: dia 07 de outubro, 23h, Espaço Acústica. Praça Tiradentes 2, esquina com a Rua da Carioca, Centro - Tel.: 2232-1299
Boa sorte! =)

September 29, 2011

Para melhorar...

Mashups às vezes operam milagres. Como consiste em uma técnica que mistura duas ou mais músicas para formar uma versão completamente singular, algumas músicas envolvidas transformam-se em palatáveis (se já não são) depois que passam pela mistura. Imagine um vocal que ganha o instrumental muito mais inspirado de outra música? E arranjos animais de outra? Se a música é ruim, o mashup salva! Quatro exemplos pra vocês:
1) Como melhorar... Katy Perry?
Um mashup animal com Wolfmother! "Hot'n'Cold Woman", do Electrosound. A batida bem sem graça original ganha pegada rock.

2) Como melhorar... Phoenix?
Um mashup com o instrumental de "New Slang", do The Shins. Feito por ...And Sushi! Productions. Muito mais comovente que o pop-rockzinho meia boca do Phoenix.

3) Como melhorar... Owl City?
Um mashup com Smashing Pumpkins. O instrumental de "Today" combina perfeitamente com a bobinha "Fireflies", ela ganha peso e beleza. O dj Mighty Mike salvou muito nesse momento.

4) Como melhorar... All American Rejects?
Um mashup com Le Tigre, Rod Stewart e um pouco de Timbaland. Esse mashup do dj Lobsterdust é uma pérola. A música emo do All American Rejects vira dance, muito, mas muito melhor.

September 24, 2011

Para gifs e afins...

Um recurso presente em muitas câmeras é o "continuous shooting", que bate várias fotos de uma vez e pode satisfazer nossa vontade básica de um stop motion. Pense numa pequena cena e sente o dedo, fica perfeito para um gif animado.

September 14, 2011

CATCEPTION!

Nyan Cat


Cat watches Nyan Cat


Cat watches cat watching Nyan Cat

August 29, 2011

Bootie Rio edição Hollywood chegando dia 02/09 - E TEM PROMO!

Sentiram falta da Bootie Rio?? Ela volta com tudo na próxima sexta, dia 02/09, com a presença do glorioso DJ brasileiro Faroff, além de Folkatrua VJs e os residentes André Pipipi, Billy the Kid, Schalepfer, Beto Artista e Luiz G-Vô. E o LittleJoia vai liberar DOIS PARES DE CONVITES VIPS para a Bootie Rio. Sim, você e um convidado!
Gwen Stefani e Madonna no flyer da Bootie Rio
Antes de liberar as regras para a participação da promo, confiram aqui a entrevista com o economista Leonardo Bursztyn, phD em Economia pela Harvard University e professor do MBA da UCLA...
- Natalia, tá louca, você não tava falando da Bootie Rio? O que é isso?
Pois é, gente. O economista Leonardo É O DJ FAROFF! E sim, temos entrevista com ele =) Confere:
Eu já tinha lido uma entrevista com vc e achei ótima sua história: uma face mais séria de doutor em Economia e outra bastante despojada de DJ. Antes de ir para os EUA, você já tinha envolvimento com música no Brasil?
Pois é. Sempre fui nerd mas interessado em música. Antes de ir fazer PhD nos EUA, eu já estava envolvido com música. Eu era o guitarrista e letrista da banda Móveis Coloniais de Acaju, em Brasília (eu não sabia disso, gente!!!). Quando me mudei pros EUA, ficou difícil conciliar os estudos com a banda. Daí conheci os mashups, amor à primeira escutada, e pronto. Não parei mais.
Como foi seu primeiro contato com os mashups? Por que você acha que teve vontade de fazer exatamente esse tipo de música?
Foi em Boston, em 2005-2006. Me deparei com o disco The Beastles, do DJ BC, que misturava Beastie Boys e Beatles. Achei aquilo demais. E logo comecei a fazer. De certa forma, supria minha necessidade de continuar compondo (e frustração de não poder ver as composicões tomando forma na minha frente pois a banda estava no Brasil e eu lá). Era uma forma de fazer músicas com as músicas dos outros. Adorei.
Quando conheci os mashups, em 2007, senti falta de uma presença da música brasileira e comemorei quando a coisa pegou no Brasil e entre os djs brasileiros. O mashup com música brasileira tem uma boa aceitação lá fora?
É fantástico como o mashup cresceu no Brasil, em grande parte, graças à Bootie Rio e ao trabalho do Fabiano Moreira (o padrinho do mashup nacional). Hoje em dia, já está "na boca do povo". O mashup com música brasileira é aceito lá fora, principalmente quando se mistura um instrumental brasileiro bem característico com um artista internacional que todos conhecem. Eles adoram quando eu toco o tema de Star Wars em versão samba e baile funk.
O que você diria pra uma pessoa que é resistente à ideia dos mashups, que ainda acha "estranho" ou confuso?
Abre a cabeça e o coração. O mashup é a cara da nossa época. A internet é um mashup de mídias. A globalização é um mashup de culturas. É a era da mistura, da reinvenção. A tecnologia permite que a gente realize encontros antes impossíveis, como o dos Beatles com Bob Marley. Então aproveite!
Última... você está dando aulas? Se sim, seus alunos sabem e curtem ir ver o professor agitando a noite? =)
Sim! Mas concentro tudo em um trimestre. Dou aulas no MBA da UCLA, em Los Angeles. Acho que meus alunos não fazem a menor ideia da vida de DJ (a nao ser que eles fucem meu nome no google!).

Maneiríssimo, né?? Ficou com vontade de ir que eu sei. Cá estão as regras da participação:
1) Comente neste post.
2) Informe seu nome completo e e-mail válido.
3) Responda a pergunta que eu fiz ao Faroff: "O que você diria pra uma pessoa que ainda não curte mashups para convencê-la a dar uma chance e ir à Bootie Rio?"
4) As duas melhores frases ganharão UM par de vips (entrada grátis).
5) Resultado sai sexta, dia 02/09, por volta de meio-dia, por e-mail.
Pra quem vai comprar, ingressos antecipados custam R$ 25 no site Ticketronic, lojas da Chilli Beans de Ipanema, Rio Sul e Copacabana e loja Zero Zen no BarraShopping. A festa custa R$ 50 na hora, na bilheteria do Espaço Acústica. Lista amiga: bootierio@gmail.com, mandar nome até às 18h do dia 02 de setembro, aí o ingresso sai a R$ 30 até 1am, e R$ 35 depois.
Olha o silviço aê, zenty: dia 01 de julho, 23h, Espaço Acústica. Praça Tiradentes 2, esquina com a Rua da Carioca, Centro - Tel.: 2232-1299
Let's go =)

August 22, 2011

Aparências, não enganem

Esquisito, cheio de tatuagens de marinheiro, depressivo, viciado em drogas pesadas... e capaz de vazer melodias lindas e sensíveis como essa e muitas outras. 
Não é a Amy Winehouse, é o Elliot Smith, que também se foi (em 2003) por causas drásticas. Uma pena, uma pena, fica a música e o sentimento.

August 14, 2011

Arquitetura é luz


August 12, 2011

Strangely familiar (mais um)

Isso:
Ok Go - White Knuckles

Bem me lembra isso:
Titãs - Miséria
Acho que tô ficando louca... mas daria um bom mashup.

August 8, 2011

LIVE BLOGGING FIRST LISTENING OF FILHOS DE JUDITH

A cara de "sou pobre mas sou mod" é a melhor coisa depois do som. 
os "Filhos de Judith"
EV: o som é bom?
NW: já tinha ouvido demos e curtia, to ouvindo o cd agora e tá BOMPACAS, dá uma conferida!
EV: ouvindo agora tbm. bonzim.
NW: não é nada de novo (aliás é VELHO auhaha), mas é bom
EV: o som da primeira música é bom. mas não gosto do vocal, e a letra é meio sei lá.
NW: eu sou ultimate chata com banda nacional, hj em dia tá foda com umas letras nadavê tipo "coração cabe uma penteadeira", mas essa banda eu curti bastante
EV: ‎"Baby Sempre Assim" é bonitinha (pulei algumas, confesso).
NW: to na 6, adorei a 2 e a 5
EV: eu gostei mais da 1 do que da 2.
NW: coisas da vida uhauhauha
EV: ahuahauahauah! ultimate chato com banda nacional (2).
EV: hehehe, gostei da 5 tbm.
NW: Na 08 eles chegam ao ÁLBUM BRANCO e rola uma psicodelia ahuahaua
EV: pularam do A Hard Day's Night pro Revolver.
NW: por aí rsss
NW: não entendi pq 17 músicas, um álbum assim tinha que ser um petardo, 10 e pronto.
EV: mas eu fico meio bodeado com a falta de criatividade nos arranjos das bandas de hoje, especialmente as nacionais. uma bandinha vem e fala "quero fazer um ska". aí faz uma parada IGUAL a todas as outras bandinhas, aquela coisa padrão. ou então "quero fazer algo psicodélico". aí já sabe que vai ser um arranjo arrastado, com pratão solto o tempo todo e um vocal meio "estou drogado".
NW: pertinente observação. acho q esses caras realmente não estão querendo mudar nada no mundo. só tocar, divertido
EV: eu não consigo achar despretensiosa uma banda com o visual assim e o vocal assado.

Agora pra conferir: http://www.coqueiroverderecords.com/fdj/. Eu curti no Facebook.

August 3, 2011

Sem palavras

Sufjan Stevens terminou sua turnê do Age of Adz esse fim de semana. Uma foto e eu não sei o que dizer, só que gostaria de poder ver um dia, ao vivo.
Sufjan em concerto. Prospect Park, NY

Sufjan Stevens - Pleasure Principle

August 1, 2011

A internet é para isso

Uma homenagem à todas as tartarugas chamadas "Dirty" ;)





July 28, 2011

Quem não viu? Quem não viu? "Uma Dinâmica do Barulho"

Eu&OsMeus strikes again.

Depois de 2 anos consegui finalizar essa edição. Tô muito orgulhosa do resultado, apesar de uns erros, resultados de nossa mambembice latente. Volta a editar é bom demais.
Quem já passou por uma dinâmica de grupo vai se identificar. Solta o som.
http://euosmeus.tumblr.com/ --> esse é o portfólio (atualizado) da Eu&OsMeus.

July 14, 2011

RIP Rilo

Rilo Kiley acabou. O guitarrista e vocalista bissexto da banda, Blake Sennett, deu uma entrevista recentemente pra Spinner e jogou algumas coisas no ventilador. Nada explícito, mas deixou no ar um clima ruim, uma coisa sem volta. Falou mal do último cd deles, Under The Blacklight, de 2007, o que é triste, já que eu gosto bastante. Agora ele juntou uma nova banda, The Elected. O álbum é ok, mas a sonoridade é toda Rilo e poderia estar facilmente na discografia da banda. Jenny Lewis excursiona com o namorado com o Jenny & Johnny e já tinha 2 álbuns solo. E aí? Blake deu um pequeno esclarecimento após a polêmica da entrevista e confirmou o fim. E declarou: "é triste, mas acontece". Realmente.
Fico feliz por tê-los visto ao vivo. 

July 12, 2011

‎"This would be huge if people were ready for it"

Li esse comentário em um vídeo do YouTube em que tocava essa música. Não era o vídeo abaixo, imagina se fosse. Ele foi produzido para as apresentações ao vivo do Sufjan Stevens, e foi animado por ele e Deborah Johnson, com arte de Royal Robertson. Royal é também inspiração do álbum que o Sufjan lançou ano passado, "The Age of Adz" e, aparentemente, é um misto de artista e profeta, com visões apocalípticas de discos voadores e coisas afins. Bom, suas obras passam um tanto dessa ideia, e vocês podem ver aqui, ao som de "Get Real, Get Right": 

Agora, o que dizer de Sufjan Stevens? O cara compõe letra e música, canta, é multi-instrumentista, faz tricô, desenha e anima também? E ainda é boa-pinta? Ok, isso é latifúndio...

July 5, 2011

Pros corações pacificados

#pérola
I'd be sad and blue,
If not for you.

July 1, 2011

Quase

Não sou das mega fãs desse filme. Gosto e ok. É por essa música. E a situação.
Simon & Garfunkel.
Conta a história de um casal viajando/fugindo pro leste. Nova York. Pra ver uma tal "América de verdade". Animados, entediados, angustiados, brincando com a cara das pessoas, inventando coisas.
Li que gerou curiosidade porque sua letra não rima.
"Let us be lovers, we'll marry our fortunes together"
"I've got some real estate here in my bag"
So we bought a pack of cigarettes and Mrs. Wagner pies
And we walked off to look for America
"Kathy" I said as we boarded a Greyhound in Pittsburgh
"Michigan seems like a dream to me now"
It took me four days to hitchhike from Saginaw
I've gone to look for America
Laughing on the bus
Playing games with the faces
She said the man in the gabardine suit was a spy
I said "Be careful, his bowtie is really a camera"
"Toss me a cigarette, I think there's one in my raincoat"
"We smoked the last one an hour ago"
So I looked at the scenery, she read her magazine
And the moon rose over an open field
"Kathy, I'm lost" I said, though I knew she was sleeping
I'm empty and aching and I don't know why
Counting the cars on the New Jersey turnpike
They've all gone to look for America
All gone to look for America

June 27, 2011

PROMO Bootie Rio baile funk com Mashymya$$, DJ Jak e El Super Gummi

Vem aí mais uma Bootie Rio, a festa carioca que toca exclusivamente mashups. Dessa vez, ela traz 3 DJs brasileiros para uma edição especial Baile Funk:  Mashmya$$ (Porto Alegre/RS), DJ Jak (Novo Hamburgo/RS) e El Super Gummi (São Paulo/SP) fazem mashups com funk e têm conquistado espaço entre os mashupeiros do Brasil.
Ke$ha vs. Vanilla Ice no flyer da Bootie Rio
Então se você quer se esbaldar no funk com rock, pop, hip hop e o que mais esses DJs conseguirem combinar, vambora pra Bootie.
Ainda tocam lá os residentes André Pipipi, Billy, the Kid, Beto Artista, Luiz G-Vô. No terraço rolam projecões do Folkatrua VJs.
Ingressos antecipados custam R$ 25 no site Ticketronic, lojas da Chilli Beans de Ipanema, Rio Sul e Copacabana e loja Zero Zen no BarraShopping. A festa custa R$ 50 na hora, na bilheteria do Espaço Acústica. Lista amiga: bootierio@gmail.com, mandar nome até às 18h do dia 03 de junho, aí o ingresso sai a R$ 30 até 1am, e R$ 35 depois.
Olha o silviço aê, zenty: dia 01 de julho, 23h, Espaço Acústica. Praça Tiradentes 2, esquina com a Rua da Carioca, Centro - Tel.: 2232-1299
Mas você tá aqui pela promoção que vai dar 3 VIPs, ou seja, ENTRADA FRANCA pra essa Bootie Rio, não é mesmo?? Então é fácil. É só responder, comentando nesse post: qual nome ou grupo de funk tem mais a ver com os mashups, e por quê? O resultado será avisado por e-mail na sexta, dia 01/07, então coloque no cadastro um e-mail que você sempre usa.
Não esqueça seu nome completo. Boa sorte! =)

June 22, 2011

Me Gusta Song

Ando meio doentenha (me deem boas vindas ao mundo dos alérgicos!), mas esse vídeo me fez sorrir litros!
Amei os GIFs, ainda mais que eles disponibilizara a versão oficial do DADDY Trollface. Com isso: 
Você faz isso:
Só que podiam ter utilizado o Troll dançando assim... Ia ser muito mais FODA, se é que você me entende. :)

June 16, 2011

Dois anos é muita coisa

Nos conhecemos há mais de dois anos. Sei que você acha que passou rápido, mas eu discordo. Talvez porque muita coisa aconteceu em dois anos. Vejamos: Me formei. Trabalhei no circo. Aliás, devo ter tido uns quatro ou cinco trabalhos diferentes. Viajei pra dentro do país. Viajei pra fora do país. Arrumei um emprego de carteira assinada, e fui no encontro de fim de ano do freela me embriagar de petit gateau grátis. Vi shows de umas cinco ou seis ou mais bandas favoritas de verdade. Ganhei ingresso pra festas. Ganhei músicas. Fiz novas amizades. Refiz antigas amizades. Também perdi. Conheci lugares que nunca pensei conhecer. Passei perrengue(s). Perdi um avião. Ganhei dinheiro. Gastei dinheiro. Abri um processo. Fechei um acordo. Cheguei tarde e fiquei na frente. Encaixotei minhas coisas, vivi com as caixas por meses. Me mudei. Mudei hábitos. Fui a um karaokê, saí de lá com namorado. Gastei descanso. Ganhei mau humor, mas ganhei carinho.
E o mais importante: você foi embora, 2009. E eu nunca mais te vi.

June 14, 2011

Numa bolha

Cuidado com os filtros que são criados a partir dos seus interesses e buscas online. Você acaba vendo só o que minimamente te interessa.
(Legendas em português)
E o novo? Como podemos buscar?

June 10, 2011

Todos MEME festeja

Temos finalmente um registro da última e belíssima Bootie Rio. E pela primeira vez, um registro com um dos contemplados da promo que tenho promovido há alguns meses.
O ME GUSTA do meio é o Cauã, um dos 3 ganhadores do ingresso VIP para essa edição "Baile de Máscaras". Ele disse que iria mascarado e ME GUSTA e cumpriu a promessa! (E eu sou a Derpina...)
Fico muito feliz em ter essa parceria bonita com a Bootie Rio. Gosto da festa de verdade e gosto de participar proporcionando à galerinha um good time. E aqui vai um beijo pro produtor Fabiano Moreira, que cuida dessa festa exclusivamente de mashups com muito amor e carinho. :)
Foto: I Hate Flash.

June 3, 2011

Mixtape #littlejoia "já perdi a conta"

Acho que é 11... estou devendo há tempos. Para ver a listagem, é só clicar no player que ele abre a página do Official.fm. Mas vai, curta as surpresas, depois cê clica... =)


May 31, 2011

Introducing: Karen Elson

Porque rockstar que se preza precisa casar com uma supermodel. E Jack White casou com Karen Elson (num barco no meio do rio Amazonas, diga-se de passagem). E pra não deixar a patroa à toa, fizeram um álbum.
Karen Elson, The Ghost Who Walks
Mas é bom pra cacilda. Karen canta muito bem (às vezes até bem demais pra algumas músicas que pediam um pouquinho de aspereza), a produção do marido é impecável, com uma atmosfera country, vintage, meio soturna, órgãos, essas coisas...
Mais uma ruiva!

May 30, 2011

PROMO Bootie Rio mascarada com André Paste e Brutal Redneck

E a Bootie não para e sempre tem mais, mais, mais... e estamos cá com mais uma promo para dar 3 VIPs pra festa que toca, exclusivamente, os mashups que nós tanto amamos.
Annie Lennox e Lady Gaga misturadas no flyer da Bootie Rio de Junho.
Dessa vez, a Bootie valoriza o produto nacional e recebe novamente o maravilhoso André Paste, de Vitória-ES. André é criador de mashups hiper divertidos, com muita música brasileira. E tem uma simpatia e energia con-ta-gi-an-tes. 

Se você nunca ouvi a Cid Moreira Mixtape, faz favor: TODO MUNDO AQUI VAI DANÇAR!

De Londrina-PR, vem Brutal Redneck, com misturas inusitadas, graças ao seu imenso conhecimento de rock'n'roll, música de videogame e desenho animado e trilhas de cinema.
E como o Brutal Redneck é só mais um vários DJs que se apresentam mascarados, essa Bootie de junho vai ser um verdadeiro baile de máscaras. Isso mesmo: VÁ DE MÁSCARA!!
Ainda tocam lá os residentes André Pipipi, Billy, the Kid, Beto Artista, Luiz G-Vô. No terraço rolam projecões do Folkatrua VJs.
Ingressos antecipados custam R$ 25 no site Ticketronic, lojas da Chilli Beans de Ipanema, Rio Sul e Copacabana e loja Zero Zen no BarraShopping. A festa custa R$ 50 na hora, na bilheteria do Espaço Acústica. Lista amiga: bootierio@gmail.com, mandar nome até às 18h do dia 03 de junho, aí o ingresso sai a R$ 30 até 1am, e R$ 35 depois. 
Olha o silviço aê, zenty: dia 03 de junho, 23h, Espaço Acústica. Praça Tiradentes 2, esquina com a Rua da Carioca, Centro - Tel.: 2232-1299
Mais informações: http://www.bootiemashup.com/rio/
Mas você tá aqui pela promoção que vai dar 3 VIPs, ou seja, ENTRADA FRANCA pra essa Bootie Rio, não é mesmo?? Então é fácil. É só responder, comentando nesse post: qual máscara você pretende usar na próxima Bootie Rio? O resultado será avisado por e-mail na sexta, dia 03/06, então coloque no cadastro um e-mail que você sempre usa.
Não esqueça seu nome completo. =)
Te vejo lá!

- Promoção encerrada. Obrigada pela participação! -

May 29, 2011

Sobre vídeos amadores, paródias e afins.

Eu não sei o que anda mais escasso nessa vida, além de noção. Acho que é a boa vontade. Boa vontade de dar a certas coisa o peso e a levaza devidos, e a boa vontade ver que os tempos estão a-changing. Boa vontade de não fazer briga por coisas cada vez mais naturais.
Já explico. É que vejo uma um reacionarismo muito estranho às produções e paródias amadoras, agora que estou incluida no papo com "O Cão Mais Arrependido da Cidade".
Veja bem, eu não sou tão civil assim no papo. Eu fiz Comunicação Social, Jornalismo. Eu me interesso pelas possibilidades da internet, eu sou fascinada por memes. Eu emprego é com mídias sociais, analisando o que os comunicólogos de internet chamam de "Conteúdo Gerado pelo Usuário". E eu fiz minha monografia sobre isso, precisamente sobre o YouTube, precisamente sobre vídeos amadores, chamada "Upload para a fama - A produção audiovisual amadora na era do YouTube" (que está online pra qualquer um com paciência ler as suas 90 páginas). Minha nota foi dez, mas sem me gabar. Fiz isso porque eu mesma comecei a produzir para o YouTube em 2009, não pela fama, mas disso eu falo já em breve.
A questão é que estudei pra poder falar sobre isso. Analisei, li livros, fiz entrevistas, ví inúmeros vídeos, fui a palestras. Li opiníões inflamadamente a favor e contra, pra poder fazer minha própria opinião, pra poder melhor dar meus pitacos.
Acontece que eu não vejo a produção amadora com olhos que classifique uma ou outra com importância artística e/ou social ou não. A diferença é a escala do alcance, e não exatamente a mensagem ou sua suposta nobreza. Pois o bichinho que originou uma, originou todas.
A coisa começa com o acesso à internet, e as ferramentinhas que foram criadas para que cada um pudesse brincar de jogar conteúdo ali. A chamada "democratização dos meios de produção" nada mais é do que uma câmera mais barata que grave minimamente bem, o Windows Movie Maker em todos os PCs, o YouTube ali dizendo "Broadcast Yourself". A geração que viu TV a vida toda, pode pensar "eu posso fazer isso". Não pro mundo todo, não pra ter qualidade, fama e dinheiro. Mas porque é possivel.
Se a sua audiência partir do seu grupo de amigos para 2 milhões de pessoas, a história é outra. Sou do grupo de comunicadores que acredita não ser exatamente possível produzir um viral. Há uma lista de atributos que pode ser feita, mas nada garantiria 100% um sucesso. Mas a primeira é quase óbvia: faça. E a segunda: disponibilize.
Reclamar da orkutização da internet, da enxurrada de vlogs, do sucesso do miguxês ou tiopês, dizer que a internet é cheia de lixo e de coisas desnecessárias é quase moralizante. Se McLuhan disse que "o meio é a mensagem", a mensagem é que as pessoas vão fazer na internet o que elas quiserem, simplesmente porque elas podem, não é proibido (a maioria), e nos crescemos pra copiar, colar, apertar rec e clicar upload. Depois de séculos de discussão filosófica, é frustrante travar uma conversa sobre o que é necessário ou não, o que pode ser arte ou não. Quantos anos fazem da apropriação da repetição, da tecnologia, da cultura pop por artistas, e 2011 ainda precisamos discutir? Só porque agora um menino fazer um vídeo em que diz "Mamilos são polêmicos"? No fim, a necessidade e impotância é relativa. Você pode ver uma brincadeira oude outro vê uma crítica, mas necessidade ou não é uma discussão que não cabe. A internet não é recebimento passivo de informação, é uma conversa. Você faz isso, eu posso fzer isso + aquilo e divulgar também. Contam um conto para o espectador aumentar um ponto. Porque se ele quiser, ele pode. Ele tem ferramentas para isso. E daí temos a cultura de mashups (por isso gosto tanto dos mashups!), a cultura de nicho, o que eu quero ver ou ouvir, eu mesmo seleciono, e até faço.
Recapitulando, se uma banda hoje pode encontrar 2 milhões de espectadores para seu vídeo sem ajuda de uma estratégia de marketing massiva, é porque outras pessoas podem enviar vídeos de seus bebês fofos e gatos em caixas. É porque fomos rapitamente acostumados a buscar online uma alternativa à programação oficial e testada em grupos de foco das TVs. E se um grupo de pessoas faz uma brincadeira ou paródia, não é ofensa, não é inveja, não é zombaria, não é sede de fama. É porque eles também querem e podem fazer parte da conversa.
(Com exceção, é claro, do Rafinha Bastos, esse não é mais Usuário médio que gera conteúdo, ele sabia muito bem que estava fazendo antropofagia de hype... mas essa é ooooutra história.)

Essa deve ser uma boa hora para divulgação do portfólio da Eu&OsMeus: http://euosmeus.tumblr.com/ =)

May 26, 2011

Classic Rock

Ontem, eu esbarrei com isso:

Que me levou aqui:

E tive que fechar com:

Não sei o que me deu... =}

May 24, 2011

O cão mais arrependido da cidade

É, a gente gosta de Chaves mesmo. :)

P.S.: Eu&OsMeus is back, bitches!!!! xD

May 23, 2011

Pós-Macca

Foi maneiríssimo… Mas tô cansada de pagar um ingresso caro pra ser amassada e ficar horas em pé, olha que eu nem cheguei de madrugada como alguns amigos loucos, mas quando os portões abriram… Eu sei que pra um show dessa grandeza é isso mesmo. Talvez seja a minha velhice, depois de uma semana cansativa de trabalho, ficar 7 horas em pé não é bolinho.
Pra chegar, Bonsa + busão até o Norte Shopping e caminhadinha. Sem gastos com táxi, chuchu beleza. Na volta... Não sei de quem pegou o trem + metrô, mas os ônibus integração rolaram q é uma beleza, em meia hora estava em casa, fui sentada, paguei R$ 2,80, IMPENSÁVEL fazer isso em São Paulo. Lá não teve esquema especial, tem que andar muito pra sair do entorno do Morumbi, táxi extorquindo (deve ter tido aqui também, mas ao menos tinhamos outras opções), engarrafamento...
Minha conclusão? Macca tá mais em forma do que eu. Faz um show impecável, tem a plateia na mão, pula, toca, canta… e dessa vez nem se estabacou!! Vivas!!! xD


May 20, 2011

@bandamaiscoxinha

Já fiquei trollando essa Banda Mais Coxinha da Cidade o suficiente ontem a noite no Twitter... Eu acho engraçado é que as pessoas com as posturas mais "cool" aparecem chorando baldes com essa breguice cult bacana em loop e sem cortes Assim vocês me confundem! Enfim, ganharam os fãs mais chatos desde os Los Hermanos, porque foi só dizer que não gosto e já fui chamada de "sem coração" e "mal comida". Gente, eu posso amar sem ser brega, eu consigo ser feliz sem rivotril hippie chic. E eu prefiro ficar com "tacatacatacataca la petaca" na cabeça do que "meoooo amoooooooooooooooooor".
E no fim eu dou mais buzz pra eles. Tudo bem, não tem problemas, mesmo. Eu só quero dizer que o meu coração gosta de outras coisas e ele tem esse direito.

May 16, 2011

PROMO Bootie Rio de Aniversário com DJs From Mars!

A Bootie Rio já faz um aninho, que emoção. Março do ano passado, lá estava eu caz amyga na Fosfobox pra conferir a primeira edição da festa que só tocaria nossos queridos mashups, com os criadores da Bootie A plus D e o grande jovem André Paste. Desde então, a festa cresceu muito, mudou de casa, conquistou novos públicos e trouxe os principais DJs de mashup do mundo todo.
Flyer da Bootie Rio de Maio
Nessa edição de aniversário a Bootie traz os italianos DJs From Mars, que mashupeiam até os famosos capacetes do Daft Punk: eles só se apresentam com divertidas caixas de papelão na cabeça.
DJs From Mars: deveriam virar memes, né?
Confira um pouco do trabalho deles, que eles chamam de bastard-pop-allien-electro:
Ainda tocam lá os residentes André Pipipi, Billy, the Kid, Schlaepfer e Beto Artista. No terraço rolam projecões do Folkatrua VJs.
Ingressos antecipados custam R$ 25 no site Ticketronic, lojas da Chilli Beans de Ipanema, Rio Sul e Copacabana e loja Zero Zen no BarraShopping. A festa custa R$ 50 na hora, na bilheteria do Espaço Acústica. Lista amiga: bootierio@gmail.com, mandar nome até às 18h do dia 20 de maio, aí o ingresso sai a R$ 30 até 1am, e R$ 35 depois. 
Olha o silviço aê, zenty: Dia 20 de maio, 23h, Espaço Acústica. Praça Tiradentes 2, esquina com a Rua da Carioca, Centro - Tel.: 2232-1299
Mas você tá aqui pela promoção que vai dar 3 VIPs, ou seja, ENTRADA FRANCA pra essa Bootie Rio, não é mesmo?? Então é o seguinte: é só comentar, aqui nesse post mesmo, respondendo a seguinte pergunta: Que coisa de outro planeta você espera encontrar na Bootie Rio de Aniversário com os DJs From Mars? O resultado será avisado por e-mail na sexta, dia 20/05, então coloque no cadastro um e-mail que você sempre usa. Não esqueça seu nome completo. =)
Te vejo lá!

- Promoção encerrada. Obrigada pela participação! -

May 13, 2011

Vivendo...

- "Como ela conseguiu fraturar o pé?"
- "Vivendo."
E o que o véio Talese tem a dizer sobre algo assim?
"Eles querem ir do ponto a para o ponto b, e querem fazer isso rápido, de maneira eficiente sem perder nenhum tempo. Bom, perder tempo é muito bom. O tempo é maravilhoso quando você o perde. Quando você perde tempo você pode pensar que é um desperdício, mas não é. Às vezes você aprende com o silêncio, ou com os momentos de indecisão. Você aprende coisas que você jamais pensou que saberia, e aprende coisas sobre as quais você nunca pensou, e que nunca iria perguntar sobre. São coisas muito valiosas para a mente intelectual, e para a curiosidade intelectual que algumas pessoas têm. A internet joga contra esta curiosidade. Ela proporciona todas as respostas de maneira fácil. Você coloca o nome de alguém no google e descobre muito sobre ela. Se é verdade ou não, você não vai saber a diferença.
Então eu acredito que a tecnologia pode poupar tempo, poupar viagens, mas faz você ficar em casa, entre quatro paredes, perdendo o grande contexto da vida. A tela do laptop está substituindo a grande visão do mundo que você só pode conhecer explorando o mundo, viajando pelo mundo, saindo por aí, indo de um lugar para o outro, estando lá, e isso é importante. Não receber algo de segunda mão, não olhar pelas coisas a partir de terceiros. A internet é um instrumento de terceirização. Você coloca uma pergunta na internet e recebe uma resposta, mas não é a sua resposta. Você não experimentou nada."
Então partiu viver.